Sugata Mitra na abertura do EducaParty


A educação tomou centro das discussões da edição de 2012 da Campus Party Brasil . O maior encontro geek do planeta reservou espaço e programação especiais para o tema. Bits e educação se encontram agora no Educaparty. Dos dias 7 a 12 de fevereiro, diversos palestrantes, convidados e participantes debatem novas formas de ensino. Agora, a aprendizagem é em rede!

E para abrir a programação do Educaparty, a Fundação Telefônica traz Sugata Mitra , professor visitante do Massachusetts Institute of Technology (EUA) e pesquisador e professor de Tecnologia Educacional da Newcastle University, da Inglaterra. O pesquisador, famoso por usar a tecnologia para vencer problemas educacionais e sociais, falará no palco principal, no dia 7 de fevereiro, às 19h.

O MVMob já confirmou presença. O gestor, Wagner Merije, é um dos convidados especiais da Fundação Telefônica, da Vivo e da CP, e estará lá representando a Família MVMob.


Sugata Mitra! Vale a pena conhecer

Mitra realizou o experimento chamado “Hole in the Wall” ("Buraco no Muro", que consistiu na colocação de um computador com acesso à Internet num buraco de um muro em local público em uma favela em Nova Delhi, na Índia.

 

Câmeras escondidas mostraram que crianças que brincavam no local iniciaram, autonomamente, um processo de aprendizagem sobre como usar o computador e como estar on-line. Depois, umas ensinavam as outras a navegar. Hoje, a organização Hole-in-the-Wall Education Limited realiza experimentos de educação e inclusão digital em todo o mundo. Os experimentos de Mitra visam a comprovar que crianças de fato podem aprender interagindo com as telas digitais, sem necessidade de uma orientação formal e presencial. Sugata Mitra trabalha, ainda, em área da Ciência Cognitiva, Ciência da Informação, Física e Energia.

O trabalho de Mitra serviu inclusive de inspiração ao filme ganhador do Oscar "Quem quer ser um milionário?" ( The Slumdog Millionaire ). Na ocasião, Mitra comentou que o aprendizado das crianças nas telas digitais pode resultar não apenas em ascensão sócio-econômica mas em uma verdadeira revolução do conhecimento. "Eu chamaria o filme de 'Quem quer ser um ganhador do Prêmio Nobel?'", disse Mitra em entrevista ao The Guardian.

 

O que os educadores brasileiros querem saber de Sugata Mitra

"Como pode ser possível, com poucos recursos para ensino e pesquisa, aliar as tecnologias à educação básica considerando o contexto de um país em desenvolvimento como o Brasil?"

- Willian Rochadel - Pesquisador do Remote Experimentation Lab (RexLab) da UFSC

"É muito interessante no vídeo "O Buraco no Muro" como o computador é colocado numa rua onde as crianças conseguem acessá-lo sem monitoramento e elas mesmas ensinam umas às outras. Neste momento, percebe-se que aí a aprendizagem não é uniformizada ou ditada por regras. Com isto em mente, como nós, professores, podemos nos desvencilhar da ideia de orientar e controlar todo o processo de aprendizagem já que ficamos tão apreensivos, querendo avaliar e medir sempre? Como podemos dar esta liberdade a nossos alunos para quem aprendam sozinhos?"

- Grace de Castro Gonçalves - Professora da Escola Estadual Vereador Antonio de Ré, Guarulhos - SP

"Sobre a alfabetização dos alunos, a tecnologia pode ser de fundamental ajuda neste processo, principalmente agora que o uso de laptops educacionais no Brasil é cada vez maior? O que pensar disso em comparação com a experiência do "Buraco no Muro?"

- Amábile Maria Reginato Dos Santos, Diretora da EMEF Pedagogo Paulo Freire, Ourinhos - SP

"Na experiência do vídeo "Um Buraco no Muro", é possível ver que as crianças aprendem sozinhas e ensinam umas às outras. Considerando isto, gostaria de perguntar ao professor Sugata Mitra como seria um aula com tecnologia para ele, o professor realmente é necessário nessa aula ou as crianças podem ser deixadas para aprenderem sozinhas? Se o papel do professor muda, como deve ser agora?"

- Eliana dos Santos D'Avila Oliveira, professora de informática da UME Mário de Almeida Alcantara, São Vicente - SP

"A tecnologia aplicada à educação pode ajudar a equilibrar os direitos civis na Índia e em outros países, onde por exemplo, as mulheres têm “menos direitos ou estão abaixo dos homens?"

-  Wagner Merije Rodrigues Araújo, Gestor do MV Mob, portal de educação e mobilidade, Belo Horizonte - MG

 


Saiba mais sobre o Educaparty:


A Fundação Telefônica vai promover o EducaParty entre os dias 7 e 10 de fevereiro, período durante o qual serão desenvolvidas atividades especiais voltadas para a educação. Serão convidados educadores de todo o país, entre professores de escolas públicas, de Organizações Não-Governamentais e universidades, além de alunos de pedagogia e gestores públicos. Dentre as atividades planejadas, estão jornadas de aprendizagem, oficinas de experimentação com ferramentas da web e celulares e debates com especialistas. A Campus Party, maior acontecimento de tecnologia, inovação, entretenimento digital, ciência e cultura digital do mundo, acontecerá entre 6 e 12 de fevereiro, no Anhembi, em São Paulo. Mais informações em www.campus-party.com.br.

 

 

Fonte: EducaRede (29/01/2012)


Outras notícias